E-commerce: como adaptar o meu negócio?

e-commerce na minha empresa

Devido às medidas de isolamento social orientadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), muitas empresas têm aderido a outros meios para evitar declínios profundos no fluxo de caixa. Por conta disso, o e-commerce vem ganhando bastante destaque como principal alternativa para o seu empreendimento diante do cenário de pandemia.

É válido dizer que vender pela internet já se tornou uma modalidade de negócio a um bom tempo no setor do empreendedorismo em função das suas vantagens, facilitações e dos seus grandes retornos. Atualmente, é inegável que apostar em um comércio virtual te permitirá a não somente acompanhar a tendência forçada da condição sanitária a qual vivemos, mas a enxergar um novo mundo que pode trazer muitos benefícios para sua marca. Mas afinal, como é possível adaptar minha empresa a esse novo contexto? Aqui, a Argos vai te dar algumas dicas sobre como começar a se inserir de vez nessa lógica.

1- É preciso se planejar!

Elaborar um planejamento de implantação é o primeiro passo de qualquer negócio – e com o comércio eletrônico isso não é diferente. A princípio, é importante pensar no segmento de mercado que seu e-commerce vai se pautar. Certamente, ao delimitar o seu público alvo específico, você foge de mercados saturados e poupa a dor de cabeça de lidar com a concorrência de empresas grandes. Isso só se faz possível com uma análise de cenário detalhada acerca do nicho que deseja atingir. Dessa maneira, as chances do seu empreendimento alcançar o sucesso disparam consideravelmente.

Além disso, estruturar a logística de sua loja virtual é essencial para viabilizar tal investimento, principalmente em tempos de crise. Por essa razão, deve ser feito um planejamento de estoque que leve em consideração os custos fixos que podem ser reduzidos, uma pesquisa de fornecedores nacionais que possuam um bom custo-benefício e estejam abertos para negociação de prazos a fim de assegurar o mínimo de impacto financeiro para ambos.

Também é preciso se preocupar com o envio de suas mercadorias por conta das circunstâncias atuais. Ainda que muitos negócios optem pelos Correios, é esperado que companhias de frete, em geral, aumentem suas cobranças. Dessa maneira, pesquisar meticulosamente por empresas que ofereçam um bom investimento é fundamental para evitar o desabastecimento. Embora os Correios tenham divulgado que não vão congelar os serviços, anunciaram uma redução no número de funcionários pelo afastamento de pessoas do grupo de risco e um acréscimo de pelo menos 3 dias úteis no prazo de entrega de encomendas. Logo, estender os prazos de frete será inevitável. Por isso, pensar em avisos, anúncios virtuais e outras formas de manter a transparência com o seu cliente sobre tal temática mostra-se indispensável para criar um bom relacionamento com o consumidor e uma boa reputação.

e-commerce plataformas

2- Escolha a plataforma ideal para o seu e-commerce

Depois de se organizar e planejar adequadamente, será necessário selecionar uma plataforma para efetuar, de fato, a sua presença comercial no mundo digital. Existem diversas formas de se inserir no comércio eletrônico, sendo algumas delas por meio de:

> Marketplaces

É uma boa opção para aqueles que buscam uma praticidade maior e não querem lidar com sistemas web. Trata-se de um site em que diferentes lojas podem anunciar seus produtos, como uma espécie de vitrine. Por ser uma plataforma conhecida pela sua abrangência comercial, é possível atingir mais pessoas, aumentando a visibilidade de sua empresa e alavancando suas vendas. Algumas das marketplaces mais conhecidas são a Magazine Luíza, Amazon, Mercado Livre e Mercado Azul. Pesquise a fundo cada uma delas e escolha a que mais se encaixa para o seu tipo de negócio.

> Website

Não é mais preciso ser um técnico de TI para criar um website voltado para a venda das suas mercadorias e serviços.  Existem plataformas de fácil uso, porém limitadas, para você começar o seu negócio online, podendo elas serem gratuitas ou pagas. O Wix, o WordPress e o Magento são canais bastante conhecidos no ramo do e-commerce. Escolher aquele que atenda às suas necessidades será fundamental para uma boa base para sua loja virtual. Entretanto, contratar um especialista na área pode possibilitar uma expansão do seu leque de ferramentas e customização. Existem inúmeras empresas juniores que podem ajudar no desenvolvimento mais fluído do seu website por um ótimo custo-benefício!

> Redes Sociais

Outra maneira de comercializar eletronicamente é por meio das redes sociais. Nesse período de pandemia, o Instagram, o Whatsapp e o Facebook têm se mostrado como principais meios de divulgação e venda de produtos. Por isso, é interessante criar páginas comerciais para explorar bem as ferramentas disponíveis por cada plataforma com o intuito de ampliar o alcance da sua venda.

e-commerce pagamentos

3- Busque formas de pagamento online

Para se dar início a uma transação é preciso que exista um meio unificado para o pagamento dos seus produtos e serviços oferecidos, correto? Assim, existem algumas maneiras de receber pagamentos online. A mais utilizada é por intermediadores, pois assumem a responsabilidade sobre os riscos de fraude e fazem adiantamento de recebíveis.

O Pagseguro, Paypal e MercadoPago são plataformas extremamente conhecidas pela sua transparência e boa atuação entre e-commerces. Ademais, você também sempre pode optar por meios tradicionais. Como hoje os bancos viabilizam inúmeras práticas via aplicativos e websites, é possível realizar facilmente uma transferência bancária para a finalização da troca comercial.

e-commerce redes sociais

4- Pense no seu alcance no meio digital!

Por fim, traçar sua estratégia de projeção no mundo virtual é uma das etapas mais importantes quando falamos de comércio eletrônico. Fazer seu negócio alcançar cada vez mais clientes exige muito mais do que apenas o seu conhecido outbound marketing. É preciso mergulhar a fundo no entendimento do marketing digital, explorando bem as formas de abordagem que podem ser adotadas.

Aproveite essa quarentena para se mostrar ativo nas redes sociais e gerar engajamento sobre os cuidados e medidas que estão sendo tomadas no envio dos seus produtos. Agora, mais do que nunca, ao se mostrar devoto às orientações da OMS, além de manter você e seu cliente protegido, você também estará ganhando pontos pelo seu nítido comprometimento com o público e pela sua responsabilidade social. Procure também divulgar seu e-commerce em outros canais, como o sistema de anúncio do Google, por exemplo, para assegurar um processo de prospecção feito com sucesso. 

 

Achou alguma etapa difícil? A Argos oferece alguns serviços que podem te auxiliar a colocar em prática algum dos passos sugeridos aqui.  Desse modo, você consegue suavizar as consequências da pandemia e a aumentar o seu faturamento! Podemos fornecer ao seu e-commerce uma pesquisa de fornecedores especializada para o seu negócio e uma análise de cenário aprofundada para definir e entender seu nicho de mercado.

Com essas informações, a equipe da Argos espera que você finalmente consiga adaptar seu empreendimento para o meio virtual!

E, ai? Gostou do assunto e quer ler mais sobre? Então continue acompanhando nosso blog e nossas redes sociais. Estamos atualizando diariamente nossos leitores com dicas chaves para o cenário atual!

Quem escreveu:

Renata Lannes

Consultora de Marketing

Tags: , , , , , ,

2 comentários

  1. Gabriela Cunha disse:

    Excelente conteúdo! Extremamente importante na situação atual!

  2. Francyne Motta disse:

    Parabéns pelo post sobre e-commerce. Muito esclarecedor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *