Os ODS no combate ao coronavírus

ODS no combate ao coronavírus

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a pandemia da COVID-19 irá trazer inúmeros prejuízos econômicos e soaicis, podendo ser catastrófica para países em desenvolvimento. Entretanto, o foco em ações presentes na Agenda de 2030 mostra um caminho viável para superarmos a crise: usar os ODS no combate ao coronavírus.

Criado em 2015, o programa “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)” compreende 17 objetivos com 169 metas globais visando o futuro do planeta e das sociedades. Pautas a preservação do meio ambiente, erradicação da pobreza, redução das desigualdades e elaboração de formas de produção e consumo sustentáveis fazem parte do projeto a ser cumprido por governos e empresas até 2030. Para conhecê-las um pouco mais, consulte nosso post acerca dos ODS no instagram da Argos.

É possível viver em um mundo sustentável?

Desde 1972, ano no qual foi organizada a Conferência de Estocolmo, a pauta sustentabilidade vem ganhando força nos noticiários e nos debates políticos. Mesmo após décadas de discussão, organização de assembleias e planejamentos, houve muita resistência por parte das grandes empresas e de governos mais céticos. 

Embora ainda exista descrédito de muitos acerca do assunto, o mundo está começando a sentir os efeitos do alto consumo e de uma produção impensada. Parece que os anos de  irresponsabilidade quanto ao desenvolvimento atento às demandas naturais estão cobrando uma dívida imensa, principalmente agora com os impactos da pandemia.

Desse modo, a finalidade da Agenda é justamente revelar que é possível promover o crescimento econômico sem comprometer os recursos naturais das gerações futuras.

ODS no combate ao coronavirus

A pandemia e os seus efeitos

Entretanto, o ano de 2020 chegou como mais um obstáculo para toda a Agenda de 2030. A doença COVID-19 causada pelo chamado “coronavírus”, inicialmente na China, se espalhou rapidamente pelos países e tornou-se uma pandemia sem  precedentes.

Afetando não somente a saúde das populações, a COVID-19 provocou a fuga de capitais de cerca de 59 bilhões de dólares em um mês e o aumento de juros dos títulos públicos. Além disso, depreciou moedas em quase 25%, gerou perdas nas exportações, e fez cair os preços de commodities em quase 37%, segundo informações da ONU.    

Portanto, além de atingir economicamente países em desenvolvimento e potências como Estados Unidos e China, prejudicou-se a qualidade de vida em todo planeta. Temas fundamentais da agenda mundial, como o desemprego e a desigualdade socioeconômica, também foram intensificadas pela crise sanitária.

Ademais, esse modelo de produção intensificada e acelerada, tão criticado por prejudicar o cumprimento dos ODS, também pode colocar em perigo a vida de milhões. Não incentivar a quarentena e priorizar questões econômicas apenas acentua as consequências da pandemia. Vale lembrar que tanto os idosos, como as pessoas com problemas respiratórios e que não possuem acesso a uma rede de saúde adequada correm um risco enorme ao não seguirem as orientações corretas.

Diante disso, é essencial valorizar uma base de pensamentos na qual a saúde e o bem-estar da população estejam em primeiro lugar. O coronavírus e suas consequências são o resultado de décadas de descaso com a vida humana e do planeta. Logo, utilizar os ODS no combate ao coronavírus, buscando superar as mazelas sanitárias e sociais, torna-se o melhor caminho contra a crise. 

ODS no combate ao coronavirus

ODS como meio de combater o coronavírus

É evidente que uma situação de crise sanitária abre cortinas para inúmeras irregularidades que auxiliam no processo de disseminação, sendo essas questões de infraestrutura, saneamento básico, habitação, desigualdade, dentre outros. Tais mazelas naturalmente implicam-se nas classes marginalizadas as quais, como explanado no tópico anterior, mais sofrerão os impactos negativos do COVID-19. 

Certamente, são nesses tempos que se mostra preciso reforçar a importância da ação dos ODS no combate ao coronavírus. Como bem vimos, os objetivos extrapolam pautas ambientais e tratam dos papéis sociais dos indivíduos e suas necessidades institucionais, expondo o quão primordial é a união para concretizar tais metas. Grande parte deles se relacionam não só aos riscos do coronavírus, como também de qualquer enfermidade que possa nos acometer. Como, por exemplo, o objetivo de número 3, o qual trata-se explicitamente da promoção do bem-estar e saúde de qualidade a todos. Ele traz como meta o reforço da capacidade de todos os países, principalmente em desenvolvimento, para o alerta precoce e o gerenciamento de riscos nacionais e globais de saúde (fatores extremamente precisos no cenário atual). Outros objetivos que também se associam direta ou indiretamente:

  • Objetivo 6 – Garantir a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos.
  • Objetivo 12 – Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis
  • Objetivo 17 – Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável

Por fim, pela implementação dos ODS, é possível reunir esforços para se conseguir uma resposta que alcance todos os membros da sociedade, especialmente os mais vulneráveis, a fim de evitar a intensificação das desigualdades e de um quadro de crise generalizado.

ODS no combate ao coronavírus

É o momento de fazer sua parte!

Nesse período tão crítico, é extremamente necessário nos comprometer com as orientações passadas diariamente pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e repensar sobre nossos valores e hábitos construídos ao longo de décadas. De acordo com isso, os ODS propõem um questionamento acerca da maneira que conduzimos nossas relações com o meio em que vivemos. Em um país com desigualdades socioeconômicas continentais como o Brasil, buscar entender a origem daquilo que consumimos e auxiliar os mais invisibilizados na medida de sua necessidade expõem-se cada vez mais como práticas urgentes e, agora, imprescindíveis.

Postamos recentemente sobre o marketing digital ser uma saída para os efeitos da crise sanitária para sua empresa. Em síntese, procurar nos reinventar para nos adaptar aos novos tempos que virão mostrou ser uma forma de continuar em atividade e reconhecer a responsabilidade social que carregamos. Por isso, é fundamental que instituições públicas e privadas também pensem em promover ações de socorro aos mais afetados pelos impactos sociais e econômicos, incluindo pequenas e médias empresas. Para isso, você pode utilizar os ODS ao seu favor no combate ao coronavírus. 

Além disso, valorizar a sustentabilidade corporativa, flexibilizar rotinas de trabalho e manter seus funcionários informados são maneiras não só de assegurar vantagens comparativas, como também de cooperar com as medidas de contenção do vírus. Desse modo, a solidariedade internacional deve ser entendida como essencial para chegarmos a um fim mais consciente e saudável. Afinal, como bem apontado pela alta comissária da ONU, Michelle Bachelet, em seu artigo para o The Telegraph:

“Se nossa resposta ao coronavírus estiver fundamentada nos princípios de confiança pública, transparência, respeito e empatia pelos mais vulneráveis, não apenas defenderemos os direitos intrínsecos de todo ser humano; usaremos e criaremos as ferramentas mais eficazes para garantir que possamos superar essa crise e aprender lições para o futuro.”

Renata Lannes

Consultora de Marketing

Guilherme Dutra

Consultor de Marketing

Tags: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *